Olhete

Distribuição Geográfica

Regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul (do Amapá a Santa Catarina). Mais comum do Nordeste a Santa Catarina.

Descrição

Peixe de escamas; corpo alongado e um pouco comprimido; olhos relativamente grandes; apresenta quilha no pedúnculo caudal. A coloração é prateada, sendo escura no dorso e clareando nos flancos e em direção ao ventre, prateado mais claro. Apresenta uma faixa escura que se estende do olho até a base da nadadeira dorsal. A cauda é amarelada o que dá a ele o nome em inglês de Yellowtail. Os indivíduos jovens apresentam sete faixas verticais ao longo do corpo.

Ecologia

Espécie pelágica, conhecida como peixe de passagem. Freqüenta águas relativamente rasas e agitadas, nas proximidades dos costões rochosos e recifes. Os indivíduos jovens formam pequenos cardumes, mas os maiores são solitários, vivendo sozinhos ou em pares. Alimenta-se principalmente de lulas, crustáceos e pequenos peixes. Tem importância na pesca esportiva e comercial.

Equipamentos

Equipamento médio/pesado a pesado. A carretilha é mais apropriada, porque esse peixe briga muito levando vários metros de linha, que deve ser de multifilamento de 40 a 80 lb. Os anzóis devem ser fortes de n 5/0 a 10/0.

Iscas

As melhores iscas são as naturais, principalmente sardinha. Outros peixes inteiros ou em filés também dão bons resultados. Entre as iscas artificiais, as melhores são os metais jigs, os plugs de meia água e, às vezes, os de superfície. Colheres e ziguezagues também são usados com sucesso.

Dicas

Não é um peixe que pode ser pescado da praia, a melhor forma de se pescar é embarcado. Como é um peixe de passagem, o pescador deve procurar em lajes submersas se ele está presente ou não.